top of page
  • ressoameucanto

DIA #01

Imbolc e o início de um novo ciclo


Imbolc é o festival que marca o ponto entre o solstício de inverno e o equinócio de primavera em que celebra-se Brigid, a deusa da inspiração, criatividade, cura. Por este ser um ano em que quero expandir esses dons na minha vida, decidi iniciar um processo profundo e interno em mim mesma.


Depois de uma temporada de grandes lutos, seguida por uma janela espaço-temporal de amor, alegria e euforia e suas consequências atrapalhadas e doloridas, hoje foi o primeiro dia que não chorei nos últimos longos tempos. Não que chorar seja ruim, pelo contrário. Sou cada vez mais sensível e choro quase todos os dias tanto de alegria e quanto de tristeza. Na minha vida as lágrimas são a expressão máxima da felicidade e as maiores curadoras de todas as feridas internas. Mas nos últimos tempos tenho chorado MUITO curando dores profundas. E essa semana senti que - mais uma vez - cheguei lá no fundo do poço, no lugar de onde não há para onde ir senão voltar para a luz e renascer. Quase me emocionei agora em empatia pela minha própria dor. Porém essa empatia esta foi justamente o que motivou minha decisão de olhar para o alto e sentir o sol brilhando, iluminando um caminho a seguir. Neste momento, em terras distantes, eu sou a minha base, a minha melhor companhia e tudo o que eu tenho. Preciso ser a minha melhor amiga, meu colo e meu abraço. Então decidi cortar um pouco os laços com o exterior e mergulhar em mim. Joguei a corda para me salvar da escuridão intensa e sei que a cada dia estarei mais perto da luz. Tenho fé, acima de todas as coisas.


Para quem me conhece pode parecer um tanto dramático esse texto. E talvez seja um pouco - estou na fase mais dramática do meu ciclo - mas a verdade é sempre senti demais ambos os extremos emocionais e sinto dores da humanidade e da totalidade. E essa semana sofri bastante, por muitos motivos. Senti meu coração sem chão, sem norte, sem expectativa.

Prefiro sentir profundamente, pois sei que tudo nessa vida é impermanente. Como conhecer o verdadeiro amor sem conhecer a verdadeira dor? Quem já viveu isso sabe que os dois sentimentos transcendem o corpo e nos conectam com o vazio. E talvez esses sejam os nossos encontros com a divindade, pois em ambos os casos chegamos na luz.


Felizmente, apesar do drama interno, externamente não estou sozinha. Tenho muitas pessoas com quem contar nesse mundo. Conversei muito, partilhei meus sentimentos, recebi acolhidas, abraços distantes e até houve quem me fizesse rir em meio aos prantos. Foi uma semana de muitos insights e aprendizados. A temporadda de 2 meses que pareceram 2 anos no Brasil foi bem importante para me acordar para muitas coisas. E, dias atrás, conversando com uma grande amiga eu disse uma frase que até coloquei no mural, pois é o que desejo para minha vida nesse novo ciclo:


AGIR COM ENERGIA SOLAR e

SENTIR COM ENERGIA LUNAR.


Por hoje, é isso.

Vou escrever um pouco por dia neste início de novo ciclo.




0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DIA #21

Também não escrevi ontem. Estava inspirada, mas cheguei em casa e as meninas estavam pintando e acabamos conversando até tarde. Meu dia foi bom. Nada de muito emocionante, mas consegui me inspirar par

DIA #20

Nossa. Acordei hoje 5:38 e não consegui mais dormir. Quando estava quase cochilando tocou o despertador. Fui para Lisboa cedo encontrar a Deia para falarmos sobre o nosso projeto. Acordei com muita do

DIA #19

Essa noite acordei pelas 3h da manhã e levei umas 2h para dormir de novo. Detesto acordar à noite. Fico mal humorada. Tentei calar a mente, mas ela fica incansável nas madrugadas, não sei de onde tira

bottom of page