top of page
  • ressoameucanto

DIA #03

Ontem fez uma semana que cheguei de volta em Portugal e meu único dia sem chorar. Hoje uma saudadinha das minhas pequenas sobrinhas me deu um apertinho no coração. Que bom que temos uma linda conexão de alma e conversamos com o coração.


Minha yoga foi boa, mas percebi o quanto minha mente está inquieta. Turbilhões de pensamentos invadindo meu savasana, até o corpo se manifestar brusca e "involuntariamente" e acabar com tudo. Ainda estamos tentando chegar em consenso e coerência (mente, corpo, consciência, coração). Confesso que nem sei ao certo quem escreve agora. Talvez um pouco de mente e consciência. O corpo está cansado, querendo quietude, sentindo a ansiedade do coração que ainda está um pouco triste e buscando um caminho. A consciência insiste em trazer clareza para a mente que não quer lhe dar ouvidos. E, assim, seguimos na luta.


Mas pelo menos hoje foi um dia de inspiração, organização e novos insights. O problema das páginas em branco é o potencial ilimitado que elas permitem. E a minha vida agora passa por esse momento. Quantos sonhos podemos realizar quando um portal se abre assim na nossa frente? Tudo é possível. Meu aprendizado tem sido entender quem é quem internamente nessa história (o sonhador, o pé no chão, o sabotador, o pacificador, o apegado, o sensato, o crítico, o fugitivo) e o porquê de cada um. E por isso é tão importante termos a consciência da nossa trajetória e de onde queremos chegar ('onde' nesse caso, está mais relacionado com a matriz de evolução no espaço-tempo do que com um lugar no mundo, apesar disso influenciar toda e qualquer escolha). Tudo isso é muito complexo. Decidi, por enquanto, pensar em curtas janelas temporais. Primeiro, porque percebi o quanto muda a minha energia de ação quando sei que o tempo é escasso. Segundo, porque não quero a pressão de decisões de longo prazo. Tenho 1 ano de visto em Portugal e quero viver intensamente e da melhor forma possível (realizando alguns sonhos também). A vida é agora. Amanhã é amanhã.


Sobre isso queria dizer sobre meu maior aprendizado deste ano: para viver intensamente e em plenitude e paz no coração é preciso amar intensamente (como se não houvesse amanhã), pois o amor nos traz a consciência sobre o outro, sobre o todo e a totalidade, nos traz a dimensão do sentimento, do comprometimento com esse sentimento e da responsabilidade que ele representa. Pois se focarmos apenas em viver intensamente sem colocar o amor acima de tudo, de todas as coisas e de todas as experiências, poderemos agir de forma individualista e arcar com as consequências dos nossos atos inconsequentes. Ou seja, viver como se não houvesse amanhã é uma perspectiva individual que pode trazer consequências indesejadas amanhã. Amar como se não houvesse amanhã nos traz a perspectiva de algo maior, do todo, do outro, de nós mesmos e do além de nós mesmos, das leis universais de causa e efeito. Desejo ter mais essa consciência na minha vida.


Hoje é sábado. Chamaram-me para uma festa, dois ecstatic dance, um temazcal e uma trilha neste fim de semana, mas ainda não tenho vontade de interagir com o mundo. Já não acho que seja só a tristeza do coração. Sinto que ele está melhor desde que decidimos renascer para este novo ciclo. Mas é inverno, é meu natural momento de hibernação e a lua está minguante nas profundezas de escorpião.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DIA #13 . 12/03/2024

Hoje pela manhã rolou encontro no sofá. de todas nós, tomamos café juntas e conversamos bastante sobre nossos dilemas da vida atualmente. E deixei a yoga para a tarde. Aproveitei para limpar a casa e

DIA #12 . 11/03/2024

Hoje fiz a prática antes de ir trabalhar. Não estava com muita vontade de ir para o tapete, mas meu comprometimento comigo está bem forte e tenho orgulho disso. Não coloquei intenção. Comecei com medi

DIA #11 . 10/03/2024

Hoje fiz a prática pela manhã, arrumei o quarto e fui para o tapete, pois estava na minha folga. Confesso que a mente estava a mil, querendo fazer várias coisas e sim, esse foi meu desafio. Encontrar

Comments


bottom of page